domingo, 11 de abril de 2010

Pintura e Poesia

[1907-8]

O beijo, de Gustav Klimt

O beijo é só uma palavra
escolhida
ao acaso. O que as tintas
encobrem e descobrem
e os pincéis revelam,
mas não nomeiam, é a ordem
que se pressente
em todas as nebulosas. Que sempre
a ordem precede
a desordem. E essa
é uma das leis
indeclináveis
do amor. A sua regra
de ouro, que não admite
exceções.