terça-feira, 11 de maio de 2010

Teus olhos

No botão das rosas

do meu jardim

e de todos os jardins

e nuvens

onde meus passos

vagam

Nas sombras das árvores

do bairro

e do campus

universitário

Nas janelas dos ônibus

e dos carros

dos estacionamentos

sem carros

Nas calçadas

de Recife

e Olinda

Na rua da Moeda e

Tomazina

Na avenida Guararapes

e na esquina

sem avenida

nem gente

Vejo teus olhos

a reluzir

em cada

pensamento

meu.