quarta-feira, 2 de junho de 2010

AUSÊNCIA

a Guilherme Montarroyos


Teu olhar de

oceano vazio

fere.

Mas tua ausência,

mais vasta

vai além da ilha

que vejo em ti:

lâmina a retalhar

a pele

de minha alma.

Sinto um corte

a cada dia

quando procuro

aquele

mar escasso

em teus olhos

e encontro

teu quarto

completamente

vazio.


Ane Montarroyos

(Texto escrito para a Fábrica de Letras)