sábado, 11 de dezembro de 2010

Singela homenagem ao Rio Capibaribe

Queridos amigos e leitores, sei que estamos em dezembro, mas nunca é tarde para divulgar uma notícia boa, né? Até porque a poesia não sofre das mesmas intempéries que nós e, portanto, sempre estará por aí para ser suavemente degustada. Assim, de 16 a 21 de maio deste ano, no blog Cronisias, vocês encontram uma instigante overdose de poemas sobre o Capibaribe, intitulada Fluvialmente, Recife. A propósito, parabéns pela seleção dos textosCajuEntão, embora atrasada, decidi compartilhar a minha contribuição à coletânea publicada lá no Cronisias:

Meu querido Capibaribe

o fluxo de tuas águas
como olhos bem atentos
observa meus passos e deságua
em caminhos todo o meu tormento

tuas águas em fluxo
não conhecem fronteiras
alimentam o mar num influxo
ultrapassando qualquer barreira

o fluxo de tuas águas
vive alheio ao tempo
dia e noite reluz minhas mágoas
admirar-te alivia meu sofrimento

tuas águas em fluxo
adornam a arquitetura das pontes
mas nos momentos de refluxo
és imagem de dor a chorar nas fontes