domingo, 23 de janeiro de 2011

Confrontos e Confluências

Em sua coluna Confrontos e Confluências, no blog Poetas de Marte, o querido Fred Caju me presenteou com esta bela análise:

            Em plena semana de divulgação do e-book Os Teimosos e a Poesia do Contra, trago para o palco da coluna Confrontos e Confluências, Ane Montarroyos. Mas Caju a idéia da coluna não é pôr os holofotes sobre dois poetas? Sim, nobreza, mas a coluna é minha e eu escrevo o que bem entender nela... Brincadeira, pessoal! Vocês verão que faz muito sentido pôr a teimosa com a cara e a coragem no blog.
          E além do mais não será a primeira vez que apenas uma pessoa estrelaria na coluna sozinha. Já aconteceu antes, e o que é pior: o poeta escolhido foi o próprio autor dessas linhas! Mas comigo é assim mesmo: nepotismo é coisa pouca para mim! Se a desculpa, digo, justificativa dada na primeira vez que pus apenas um poeta na coluna foi o método dialético contido no poema, dessa vez o buraco vai ser mais embaixo.
          Na leitura da sessão NO MEIO DO CAMINHO TEM UMA FLOR, os leitores que se propuseram a baixar o e-book encontram toda a delicadeza da ruiva, em poemas onde o que há de mais concreto são flores e sobram sentimentos e delicadeza. Há dois poemas que quero adbuzir ao blog para compor a coluna nessa quinta-feira:


SOL ESCARLATE

A muralha gélida
construída outrora em minh'alma
hoje, dissolve-se em flocos de neve
derretidos pelo sol escarlate de dezembro
inundando o jardim quase morto em mim
donde, agora, nascem lírios de alegria
girassóis de paixão
e violetas perfumadas
de suave saudade.


GIRASSOL


gira flor
nasce sol
reluz jardim.


          Viram só, como faz sentido Ane está sozina na coluna? Não?! Bom, na minha humilde leitura observo algo bem interessante: o sol escarlate faz nascer os girassóis de paixão, só que os próprios girassóis fazem o sol nascer para reluzir o jardim. Isso, simpatia, pode ser adjetivado como o Eterno Retorno nietzscheano... Ou não... Opinões?