quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

"Frestas"

uma fresta
guarda o olhar curioso
o desejo em fúria
os lados perdidos
o de cá
e o de lá
uma fresta guarda a entrada
da chave
da luz que espalha as sombras
o riso que espera
aqui
e ali
por outro riso
perdido no âmago
da intimidade que provoca
os lençóis extraviados das ausências
intuições de corpos e perdições
de estranhos e estranhezas
que se buscam
até concretizarem
para que ninguém mais veja
por fresta alguma
o encerrar-se de sua busca
a efetivação do seu encontro