quinta-feira, 29 de abril de 2010

Affonso Romano de Sant'Anna

ADIVINHA

O que é que é
que todos sentem
é igual e diferente
e sendo comum a todos
é sempre pessoal
e dependente?

O que é que é
que na batalha vence
o cabo e o general
que se dá no peito
de pobre e industrial
e transforma santo
em marginal?

O que é que é
que se pensa coisa humana
mas tem a força animal
e sendo comezinho
é também transcendental
e posto que concreto
é abstrato e real?

O que é que é
que não se pode interromper
como se fosse vício
e a que a gente se entrega rindo
ignorando o suplício.

Que coisa é essa
para a qual o médico
não tem medicamento
o engenheiro
não tem compasso
o ator
não tem disfarce
e o jardineiro
mesmo arrancando
nasce?

O que é que às vezes
começa sorrateiro
sem ser sentido
que não se tendo antes
experimentado e vivido
quando surge
é logo reconhecido?
que faz do mais tímido
atrevido
e do mais afoito
comedido
que quanto mais cortado
mais comprido
e prazeroso
mesmo se sofrido?

O que é que é?

Quem souber
Sabe o que eu digo.