sábado, 1 de maio de 2010

Silêncios

Mais cedo ou mais tarde
o silêncio virá
perguntar por ti.

(Com as flores do salgueiro)


Silêncio intacto

Sobe até ao cimo da manhã.
É lá que deves esperar-me,
grande intervalo de silêncio
musicado e fresco,
até que eu me liberte
do terror das palavras sedentárias
e aprenda, irmão mais novo dos insetos,
a linguagem perfumada das flores.

(Coração de bússola)