domingo, 2 de maio de 2010

Lua...

Coração frio

Frio e sagrado coração de lua,
Teu coração rolou da luz serena!
E eu tinha ido ver a aurora tua
Nos raios d'ouro da celeste arena...

E vi-te triste, desvalida e nua!
E o olhar perdi, ansiando a luz amena
No silêncio noctívago da rua...
- Sonâmbulo glacial de estranha pena!

Estavas fria! A neve que a alma corta
Não gele talvez mais, nem mais alquebre
um coração como a alma que está morta...

E estavas morta, eu vi, eu que te almejo,
- Sombra de gelo que me apaga a febre,
- Lua que esfria o sol do meu desejo!