quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Lucila Nogueira

CANTANDO PARA AS FERAS

Eu sei fingir que o mundo me atropela
na viração das coisas sem sentido
e declamo a dragões pela caverna
onde a sobrevivência nos atira

e persisto no jogo da lanterna
quando todos deixaram o precipício
sigo tão indefesa como terna
por entre as garras do obscurantismo

até fazer dançar cantando às feras
convertendo em brinquedos os abismos